Carta ao meu futuro amor. N°00003

Oi, seja lá quem você for, mas de antemão gostaria de pedir desculpas. Eu nasci pra ser só, assim, bem direto. E eu sei, vou me questionar muito sobre isso. E você também. Bom, eu espero que sim, afinal, o dever do amor é justamente esse: ser insistente. Porém não demente, paciência tem limite. Sabemos também que você irá sentir raiva de mim muitas vezes, mas eu vou entender e até torcer por isso, pois assim as coisas se tornam mais fáceis pra você. E pra mim também, é claro, não sou de ferro. O importante é que vamos passar momentos incríveis juntos e é isso que vai valer a pena.

Não vamos viver juntos para sempre, talvez nem mesmo por muito tempo, porém viveremos mais que muitos casais que respiram juntos no decorrer de uma vida toda, e bem, você sabe, não gostaria de passar uma vida toda só respirando. Quem me conhece sabe, não sou uma pessoa fácil e acessível, mas quem me toca a alma me tem mais do que tenho a mim mesmo. Talvez seja muito sofrido quando nosso fim chegar, pois eu tenho o costume chato de dar fim às coisas no seu auge, contudo peço que me entenda porque isso é uma tática de sobrevivência, do contrário o final seria tedioso e um tanto quanto triste. Futuro amor me desculpa.

Eu nasci com o sonho de ser livre. De ligar o carro na madrugada e não ter destino até que eu chegue a qualquer lugar. Nem pra quem ligar. Aliás, você já ligou a TV hoje? Eu nem recomendaria são as mesmas notícias de ontem e da semana passada… E da semana que vem… As mesmas tragédias de sempre. Talvez você me ache egoísta por isso e eu digo: sou mesmo, não nego. Contudo não quero ter que me preocupar com você por você estar preocupada comigo. Não quero estragar sua vida lhe dando uma rotina, mesmo que uma rotina contigo não seja uma má ideia. Então, futuro amor. Quando você me conhecer, deixe-me ir. Deixe-me ir, futuro amor, pois pedindo o contrário é muito provável que eu fique e, infelizmente, futuro amor, eu nasci com o desejo de ser eterno. Nem que seja apenas na sua memória.

Marcos Filipe.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *