Dessa vez, eu não te espero mais

Desde que você chegou, bem no comecinho, naquela noite de março, fez questão de mudar cada pedacinho meu. Mesmo sem saber, mesmo que involuntariamente. Acho que foi porque a sua chegada fez tão bem, que eu precisei ignorar todas as minhas formas de defesas que te deixavam ir embora. Fiz isso tantas vezes, não é? Mas em algum ponto – talvez no tão temido final – eu precisaria parar de me mudar e te deixar ir.

O tempo passa e, por consequência, a gente vai preenchendo alguns vazios com outros. Pessoas novas entram e histórias novas se constroem. Quanto a isso, meu amor, só digo que você tem toda a culpa. Porque, quando estávamos juntos, ninguém mais importava. Mas sua ida me forçou a conhecer outras pessoas e a me viciar por outros defeitos. Te dei residencia fixa no meu coração, mas cê preferiu usar de pousada temporária e ficar menos de um mês. 

É claro, nenhuma história se compara a nossa e disso a gente sempre soube. Mas se tem algo que eu sempre gostei sobre a vida, é isso: ela continua.

Não sinto raiva, mágoa ou qualquer tipo de mau sentimento. Meu amor, nós tentamos. E tentamos muito. Mas sempre me disseram que o que tiver de ser, será. Fomos. E atingimos nosso tempo limite. Não que amor tenha prazo de validade, porque isso, meu querido, não tem fim. O que teve fim foi o nosso brilho. Os nossos beijos. Os nossos abraços. Até mesmo aquelas conversas de madrugada sobre os assuntos mais inúteis possíveis, infelizmente, chegaram ao fim. Agora cada palavra foi substituída pelo silêncio. E é por isso que eu decidi:  dessa vez eu não te espero mais.

Dessa vez eu não vou mais chorar, gritar, me desesperar. Dessa vez eu não vou mais escrever poemas sobre o teu sorriso.

Dessa vez eu vou esquecer o timbre da tua voz, a tatuagem no seu braço direito e o sabor doce do seu beijo. Dessa vez eu não vou relembrar todas as suas qualidades e o seu sorriso lindo antes de desistir de você. Dessa vez eu vou embora sem olhar pra trás ate porque eu nem sei em qual direção você tá. Dessa vez eu vou desistir e ponto.

Dessa vez eu vou tentar me amar mais do que amar você. Vou destinar meus pensamentos a qualquer coisa que não seja o seu nome. Vou transferir minha mente para um abrigo qualquer bem longe de você e suas lembranças.
Mas de que adianta mentir em voz alta, se aqui dentro meu coração só fala a verdade? Eu não quero desistir de você. E enquanto escrevo tudo isso, imploro para que você venha me buscar.

 

Taurina, viciada em Greys Anatomy e Taylor Swift, estudante de direito por obrigação e escritora por amor.
Dona do Palavras e Clichês

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *