As pessoas que amam quietas, mas amam tão intensamente como as que fazem barulho

Eu sei que não é legal sair julgando quem quer que seja. Ainda mais sentimento alheio. Algo pessoal e tão complexo, que só quem sente é capaz de desvendar. E esse desvendar pode ser tão cruel para o outro, como é pra gente tentando compreender as atitudes de quem a gente ama.

Por isso não se engane. Cada qual ama ao seu jeito. Ao seu modo. No seu tempo. E esse amor pode ser tão intenso ao ponto de não existir ao menos um ‘eu te amo’ diário. Acredita?

Vamos ao exemplo clássico do amor materno. Quantas vezes no dia você diz que ama os seus pais? Os seus irmãos? E quanto você ouve que é amado ou amada? Pode ser pouco, mas isso não anula o tamanho infinito do amor que você sente por eles e eles sentem por você. Então, desapega dessa necessidade de ouvir um ‘eu te amo’ por minuto de quem se dispõe a dividir momentos com a sua vida

Se demonstrar é importante? Lógico que é. O amor requer cuidados. Atenção, sem sufoco. Não cobra, nem exige demais. Essas pessoas que amam quietas são arredias a pressão. E podem te amar tão intensamente quanto aquele casal que vive ostentando amor por onde passa.

Inclusive, amor ostentação, muitas vezes, não quer dizer nada. Absolutamente, nada.

Conversa com quem você ama. Se dispõe a compreender não o que a pessoa sente, mas como ela sente. Não espera fogo e paixão vinte e quatro horas por dia. Por meses. Por anos.

A gente se acostuma com quem a gente ama. O amor vira detalhe em meio as demonstrações de afeto. Cuidado continuo, que o ‘eu te amo’ falado vira abraço dado. O segurar das mãos nos momentos de tensão. O cafuné pra combater a insônia durante a noite. A ligação para lembrar que você deve beber água ao longo do dia.

Saiba que um casal de idosos, com anos de relacionamento, já não vivem mais o ápice do sexo. Do desejo. Apenas tem um ao outro para compartilhar suas histórias. Seus momentos. Suas reflexões de uma vida inteira. Um do lado outro, em uma cadeira de balanço, jogando conversa fora e rindo de coisas absurdas.

Tudo isso é o amor mostrando que, no final, o que vale a pena mesmo são os gestos. Os gestos pequenos e simples. Mas, carregados de tanto amor.

Por isso, quando for cobrar de alguém atenção, presta atenção no que a pessoa faz. De como ela se dedica a você, ao seu sentimento e aos seus problemas. Mesmo que você ouça que essa pessoa te ama vez ou outra. E quando você diz que a ama, ela silencia e te abraça.

O amor, para as pessoas que amam quietas, não deve ser banalizado.  Mas, deve ter intensidade e sentido. Com todos os sentidos e de várias formas.
Saiba entender isso. E seja feliz. ”

 

 

Baiano cá do recôncavo. Vizinho de Edson Gomes, Sine Calmon, fã de Dona Canô e dos filhos que ela deixou no mundo. Aspirante a jornalista e sonhador de um mundo melhor. Tem axé correndo no sangue e, entre acarajé e sushi… Ele fica com os dois.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *