Comparado a Bukowski, escritor mineiro de vinte e três anos lança seu primeiro livro

Escritor e estudante de direito da PUC Minas, o mineiro Brendow H. Godoi publica seu primeiro livro: Quente, feito Tequila.

Colaborador em diversos blogs e sites de renome, Godoi sempre esteve ligado à internet e à poesia. Com a escrita como parte de sua vida desde criança, chegou a vencer vários concursos literários no ensino fundamental, mas sua arte se tornou pública somente em 2014, no site que ele diz ser o nascedouro dos escritores virtuais, o Recanto das letras.

Em meio a uma febre de escritores virtuais e centenas de páginas literárias, seu estilo sujo e marginal de escrita, conquistou milhares de leitores nos últimos anos. O “poeta visceral” como é chamado pelo público, é dono de uma página de poesias no Facebook, chamada “A Metafísica Poética”, que possui mais de cento e trinta mil seguidores. Alguns de seus leitores costumam dizer que o mineiro é o “novo Bukowski”, pela maneira peculiar, verdadeira e sem papas na língua, de escrever.

Questionado sobre a cena atual da literatura virtual e o porquê de lançar um livro físico, Brendow se diz otimista para os próximos anos. Apesar de não gostar da maneira com que muitos “escritores virtuais” ganham notoriedade, porque, segundo ele, “alguns se prostituem por likes”, ele cultiva muitos parceiros e amigos de escrita que ele vê como grandes apostas literárias, como o poeta Daniel Arruda Teixeira (Da.arte), Jey Leonardo (Jey Leonardo), o paraibano Ramalho Neto (Ramai) e o poeta dos subúrbios André D’Soares, com seu livro recém lançado “Poesias que escrevi com fome”.

(foto: Poesias que escrevi com fome,  André S. 2017)

Com um grande público na internet, o autor resolveu se arriscar com a versão física da sua arte.”Era um sonho. Sei que o brasileiro já quase não lê porra nenhuma, e o livro de papel está perdendo cada vez mais o seu espaço em meio a essa orgia de bilhetes poéticos e poesias vazias de linhas rasas encontradas na internet. Entretanto, eu sou completamente apaixonado pelas linhas impressas. Sinto tesão em cheiro de livro novo. É um verdadeiro orgasmo ver minha estante cheia de histórias, e nomes, e rostos, e sonhos.” conta.

Em êxtase pela repercussão de seu primeiro romance, o escritor espera marcar as pessoas. “Quente, feito Tequila é um livro diferente. Estou utilizando da internet para colocar esse livro na estante do leitor, bem do ladinho dos livros de Nicholas Sparks e de John Green. Espero que o leitor se aprofunde nas linhas sujas que tecem a história de Tequila. Espero que eles possam debater sobre tudo o que é relatado no livro: Prostituição, drogas, homofobia, alcoolismo, miséria… Enfim. Espero que não seja apenas mais um livro”, diz com entusiasmo.

Criar um livro, uma história, requer muita entrega e dedicação e com Tequila não foi diferente. “Quente, feito Tequila é o resultado de várias tentativas frustradas de escrever um romance. É a junção de várias ideias de contos, histórias e crônicas mal acabadas. Perdi muitas noites de sono com o livro e tendo que dividir com os estudos da faculdade de direito, não foi fácil. Num primeiro momento, era pra ser a história de um jovem galanteador morto (a exemplo de Brás Cubas). Depois, a narrativa de um jovem bêbado, ao melhor estilo beatnik. Daí, fui pensando, reformulando. Por que não uma mulher? E se ela fosse uma prostituta? E se ela tivesse um cachorro? Por fim, deu nisso”. Conta.
(foto: Quente, feito Tequila, Brendow Godoi, 2017)

Tequila é uma jovem prostituta lésbica, que saiu do interior de Minas Gerais aos 17 anos, rumo à cidade de Belo Horizonte, com o sonho de ser escritora. Órfã de pai e mãe, ex-presidiária e alcoólatra, ela flerta com a solidão e a melancolia todos os dias, numa busca incessante pela glória e a sobrevivência. Ela carrega no seu coração doente, um amor doentio do passado: Uma cafetina de luxo, chamada La Belle De Jour, a quem atribui a culpa pelas desgraças atuais da sua vida, afinal, La Belle De Jour fugiu repentinamente, levando todas as economias e o coração da menina Tequila, sem dar satisfação alguma. A obra contém muita violência, sexo, drogas e poesia. É uma narrativa em primeira pessoa, que não dá tempo para o leitor sequer respirar.

O livro possui 350 páginas e já se encontra em pré-venda. Comprando diretamente com o próprio escritor através de suas redes sociais, por apenas R$ 45,00 com frete já incluso para qualquer lugar do Brasil, o leitor receberá um marca-páginas personalizado, uma dedicatória com o nome que o comprador preferir e o autógrafo do escritor. Além de estar disponível também no site da editora. Desejamos uma boa leitura a todos!

Facebook: Brendow H. Godoi
Instagram: Brendow H. Godoi 
Comprar pelo site: Editora penalux
Mineiro, apaixonado por música e literatura, arriscando-se inclusive a escrever algumas linhas.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *