Todo mundo tem problemas

Considerada pela OMS como a doença do século, a depressão é responsável por tirar 1 trilhão de dólares ao ano da economia mundial. No Brasil, atinge cerca de 6% da população, e gera perdas estimadas em 210 bilhões de reais. Vivemos em uma sociedade onde indivíduos diagnosticados com uma doença que pode levar até ao suicídio, por vezes, são tratados com preconceito. Casos de depressão aumentaram quase 20% em dez anos, e ela continua, sendo frequentemente negligenciada.

Por falta de informação, muitos acabam acreditando que jogos como o “Baleia Azul” são os reais protagonistas de tais problemas psicológicos, quando na verdade, são só uma demonstração prática e expressiva de uma sociedade cheia de problemas, comumente tratados com desdém. Porém, assim como a Terra é só mais um planeta dentro de um universo repleto deles, a depressão não está sozinha. Ela anda lado a lado com vários outros gigantes, pros quais algumas vezes não temos sequer estatísticas.

Sabe aquela amiga tua amiga, cujo ultimo relacionamento, não terminou nada bem? Sabe aquela que foi vitima de um relacionamento abusivo e que, por medo, não consegue mais se relacionar com ninguém? Ou então aquele teu amigo que vive triste e frustrado com o baixo desempenho na universidade. E nem sempre é um amigo ou amiga. As vezes é um vizinho, ou um conhecido. Talvez até, seja alguém com quem dividimos o mesmo teto, ou até a mesma cama.

Um grande fato é que todo mundo tem problemas. Alguns tratam, já outros, não. Tem aqueles que conseguem superar sozinhos, e os que já chegaram no fundo do poço e não possuem mais forças pra pular e alcançar a superfície. E ninguém aqui quer ser mais um protagonista de um desses problemas, não é mesmo? Nessas horas, é necessário praticar empatia, tentando entender o outro, ajudando-o a superar e passar pelas dificuldades de cabeça erguida. É o momento de segurar na mão, e dizer “Eu te entendo”, “Vai ficar tudo bem”, “Eu acredito em você” ou “Nós vamos superar isso juntos”.

Que não sejamos um dos 13 porquês, mas sim um abraço que alivia o peso de um mundo cheio de problemas.

Estudante de Engenharia da Computação e escritor nas horas vagas. Apaixonado por sorrisos, astronomia, empreendedorismo e inovação. Adoro filmes, séries e outras milhares de coisas.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *