A vida é curta e é preciso ter paciência

No primeiro semestre do curso de Engenharia, conversando com uma professora de cálculo, perguntei-a qual o grau acadêmico acima do doutorado. Sem demora, ela me respondeu “pós-doutorado”. Intrigado, fiquei me questionando “mas e depois disso? pós-pós-doutorado? haha” curioso, não pude deixar de perguntar outra vez “e depois disso?”. Ela provocou risadas na turma inteira ao responder, em tom de brincadeira: “depois disso, você morre”.

Normalmente, no decorrer da vida, nossos planos são voltados para aquisição felicidade e satisfação pessoal. Do ensino fundamental ao pós-doutorado, seguimos em busca da tão sonhada felicidade. Quando a meta não é acadêmica, não é diferente: De empresa em empresa, de emprego em emprego, de posição em posição, seguimos em busca dessa tal felicidade. No inicio do parágrafo, não usei “aquisição” atoa. Buscamos felicidade como algo que podemos comprar, algo que se alcança tendo uma boa formação acadêmica ou um bom emprego.

Quando fracassamos em alcançar esse objetivo, acabamos por nadar em frustrações. Nessas horas, é preciso ter paciência. É preciso ter paciência quando a nota não for a que esperávamos, ou quando não der para fazer aquela viagem. É preciso ter paciência quando erramos e levamos bronca, ou quando levamos bronca mesmo sem termos errado. É preciso ter paciência quando alguém demora a responder nossa mensagem, e também quando cansam de esperar nossa resposta. É preciso ter paciência quando alguém está irritado, e também quando não aceitam nossas irritações.

É preciso olhar no espelho e ter paciência, caso não enxergamos o que queríamos ver. É preciso ter paciência consigo e com aqueles que são importantes para nós. A vida é curta. A felicidade é aqui e agora. E é por isso que é preciso ter paciência. É preciso ter paz, enquanto o “pos-pos-doutorado” não chega.

Estudante de Engenharia da Computação e escritor nas horas vagas. Apaixonado por sorrisos, astronomia, empreendedorismo e inovação. Adoro filmes, séries e outras milhares de coisas.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *