Talvez um dia a gente se encontre nessas idas e voltas da vida

Sabe, a vida é engraçada. Ela vive pregando peças na gente, por exemplo, vivemos esperando por um amor -quer dizer, a maioria de nós-, mas a gente demora muito mais do que o esperado para conseguir encontra-lo, não é?
Quando ele chega, parece que ele chegou na hora errada, ou então, que nós somos as pessoas erradas. A gente acha que amou a pessoa certa, na hora errada; ou então que amamos as pessoas erradas sem nunca saber quando foi a hora certa, mas é que essa confusão faz parte do amor. E isso não é só um jeito de concluir um pensamento por não saber como respondê-lo não, o.k.?

Eu sei que é até meio frustrante ver todo mundo encontrando as “suas pessoas”, enquanto a gente fica aqui, esperando. Mas é que, talvez, o amor já tenha preparado alguém para gente e talvez um dia a gente se encontre nessas idas e voltas da vida, mais maduros, com mais experiencias, mais amor para dar, sabe?

A gente não percebe, mas a nossa vontade de amar nos deixa cegos. Achamos sempre que somos os melhores, que estamos prontos, que não vamos errar, que somos os melhores pretendentes, quando, na verdade, o nosso amor não chega porque nós não estamos prontos para amar, simples assim! O difícil é entendermos quando isso acontece e lidar com maturidade o suficiente para seguir a nossa vida e esperar pelo dia certo.

É que eu vou logo avisando, o amor é imprevisível e gosta de ser assim. Quando se fala de amor, se usa muito o “eu acho”, o “talvez”, o “quase sempre…”, porque ele é a incerteza invisível ambulante que nós queremos pegar. E ele não vai mudar o jeito porque você não gostou ou não se sentiu confortável. Ele vai vir quando você estiver quase desistindo, quando estiver de mala feita e pronto para ir embora, ele vai vir quando você não tiver tomado banho e estiver com o cabelo todo desgrenhado.

E, quando você achar que as surpresas que ele pode pregar são só essas, você se vê enganado. Ele pode fazer com que aquele seu primeiro namorado, da sétima série volte e seja A PESSOA certa para você, ou então, ele pode fazer com que aquele, que você jurou nunca mais amar volte e seja, dessa vez, dentro dos limites de imperfeição, perfeito para você.

Talvez, nesses dias loucos da vida, nessas idas e vindas a gente se reencontre, mais velhos, com mais histórias, com mais bagagem -não materialmente falando, mas eu não reclamaria se você trouxesse um presente para mim-, mas mais bagagem de experiencia.

Isso não significa que eu vou ficar te esperando e vivendo como se você fosse chegar a qualquer momento, afinal de contas, quando você chegar pela primeira vez ou quando retornar, eu preciso ter novas histórias para contar, então eu vou vivendo, e vou viver bem! E vou deixar o amor fazer o que ele faz de melhor: nos surpreender.

Não gosta de dizer sua idade, porque acha que é meio perdida no tempo, queria morar no passado, mas é louca pelas coisas que a tecnologia pode proporcionar a vida do ser humano. Estuda na escola da vida, aprendeu da melhor forma sobre os sentimentos e escreve sobre todos eles. Escreve sobre o que sente, sobre o que gostaria de sentir e sobre o que você sente. Ou pelo menos tenta escrever. É escritora e fotógrafa. É meio engenheira e meio psicóloga, ela é meio sereia e meio pirata as vezes também, mas de uma coisa é certo, ela é total poesia.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *