Carta para o meu próximo amor

É quarta-feira amor, e acho relevante ressaltar que não gosto de quartas-feiras; elas são o meio da semana, e eu definitivamente não sou uma pessoa de meios.

O dia está chuvoso lá fora, e ao meu lado há uma xícara de café, um potinho com canetas e aquele trecho que diz “aumenta o som do seu stéreo que eu quero te levar a sério” está tocando. Gosto muito de música; espero que você também goste.

Decidi escrever essa carta depois de uma longa viagem com os fones no último volume olhando para fora da janela do ônibus, relembrando meu passado. Dei uma pausa, parei frente ao espelho e comecei a pensar.

Sabe querido e futuro amor, eu nunca conheci um cara legal, nunca mesmo.

Nunca tive a oportunidade de caminhar de mãos dadas num sábado à tarde enquanto o pôr-do-sol abre espaço para a noite. Nunca recebi flores colhidas de qualquer calçada, ou compradas em uma grande floricultura. Nunca tive uma música dedicada a mim, e também nunca ouvi alguém cantando algo por lembrar-se do meu sorriso.

Mas nada disso foi suficiente para esmagar esse forte coração que há dentro de mim, e quanto mais me desiludiam, mais eu percebia que o caminho que me leva até você é extenso, curvo e cheio de buracos.

As estradas que percorri revelaram quem sou; De um lado sou alma de flores, brilho do sol, a musicalidade dos passos de quem não sabe desejar mal a ninguém. Menina pequena, de olhos brilhantes, desejando ser amada, buscando um abrigo. De outro sou a cicatriz do que um dia foi ferida aberta e que agora já não sangra mais; sou a certeza de que nenhuma guerra se vence sem lutar, nenhuma muralha é alta demais, nenhum pesadelo é mais real que um sonho.

Eu me tornei minha própria heroína e não me cansei disso, pelo contrário, aprendi a apreciar cada aprendizado que o retorno ao caminho me proporcionou. E isso me fez tão bem.

Mas ainda falta uma coisa; eu quero amar.

Quero acordar de manhã sorrindo ao receber uma mensagem de bom dia. Quero dividir a história de um filme, de um livro, de uma vida. Quero ouvir sobre seus dias e dividir com você os meus. Eu quero conhecer essa coisa toda que todo mundo fala, mas quase ninguém faz.

Então sonhado e querido próximo amor, deixe-me entregar a você todo esse excesso de sentimento que há dentro de mim e te fazer feliz da maneira que sempre imagino.

Permita-me segurar sua mão enquanto estivermos próximos para que todos vejam o quanto você é especial em minha vida; deixe que eu poste todas as selfies que quiser com as legendas mais clichês que a música nos permite para que toda a internet saiba o quanto estou feliz pelo momento vivido; não se assuste se eu beijar sua testa assim do nada, é que eu simplesmente quero cuidar de você da maneira como ainda ninguém fez.

Me deixe te abraçar, conversar, perguntar… Me deixe te amar! E quando você quiser permanecer em silêncio fique tranquilo, será um prazer apreciar o gosto da sua paz. E se sentir medo, não se desespere; eu estarei lá para lembrá-lo de que é só uma fase, mais uma vez vai passar.

Meu querido futuro amor, eu só quero que saiba que as dores do mundo não são maiores que a cura que cada um de nós é capaz de causar. E toda maldade espalhada por aí não supera em nada o dom de amar.

Da mesma forma que enfrentei minhas noites escuras e aguentei firme até chegar o sol, vou te ajudar a encontrar sua força interior todos os dias. E eu sei que você também tem suas feridas e tristezas, que algumas coisas no seu passado ainda não estão completas, e que seu presente não tem sido fácil, mas tudo bem, porque eu também ainda não terminei de me transformar, e acredito que nunca terminarei; somos uma constante evolução.

Meu doce e futuro amor não sei quando, nem como você virá, mas sei que vem.

Sei que a vida nunca erra os caminhos, e que as estradas têm origem nos encontros entre ruas. A qualquer instante você há de chegar. Talvez esteja tão perto, talvez tão distante; talvez venha no próximo ônibus, e talvez só chegue na primavera. Mas você vem, e eu estarei aqui aprendendo  mais uma valiosa lição: quem acredita sempre alcança.

Mas enquanto você não vem querido, eu continuo apreciando a beleza do mundo e imaginando o dia em que além de amor, também serei amada.

Ela é a menina que grita em silêncio, e desenha em palavras o uni-verso. A Deus tudo atribui e, dele, tudo recebe. Sempre flutuando em outros mundos, mas com os pés fixos neste aqui. Como canta Ana Carolina: “é que eu sou feita pro amor da cabeça aos pés, e não faço outra coisa se não me doar”.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *