Você preferiu ser menos quando poderia ter sido mais

-Você me ama?
-Esse é o problema, eu te amei mais do que amei a mim mesma.

Eu não me lembro do dia em que me olhei no espelho e disse que eu era suficiente para você e que estava tudo bem. Eu só me recordo de levantar e pensar que eu era pouco, que você merecia algo melhor. Mas descobri que eu mesma era esse algo melhor que você precisava.

Foi necessário que eu descesse ao fundo do poço, para perceber que você não era o cara para mim. Talvez eu até fosse sim a mulher certa para você, a que te ensinaria sobre o que é o amor e como é amar. Mas você não quis aprender.

Você acreditou que sabia de tudo, mas a verdade é que a única coisa que tu dominava, era como deixar as pessoas para baixo. Era sobre o quanto você pesava o ambiente e, quando você chegava onde eu estava, sobre como você, ao invés de colocar um sorriso no meu rosto, só sabia tirá-lo e reclamar do quanto a minha roupa era inapropriado ou de como eu ria alto demais.

Em um fim de semana, enquanto você viajava a trabalho, eu consegui apreciar minha companhia mais do que apreciava você. De repente, tudo veio em retrospecto na minha mente. O quanto você me colocou para baixo e fez com que eu me perdesse de mim. Mas ali, sozinha com meus pensamentos, eu percebi que era mais. Sempre fui mais sem você.

Você preferiu enxergar defeitos inexistentes ao invés de exaltar minhas qualidades. Preferiu me prender ao chão quando poderia voar comigo. Você preferiu ser menos quando poderia ter sido mais.

E eu ainda sou mais, mesmo quando você me fazia ser menos. Me lembro que aprendi nos tempos da escola que negativo com positivo, o resultado sempre será negativo. E eu não estou mais disposta a deixar você ofuscar o meu melhor. Eu te amei muito, um amor que me apagou. Que me deixou em segundo plano, no canto isolado do apartamento, criando poeira.

Resolvi sair de lá e conquistar o mundo. Um mundo impossível de conquistar com você ao meu lado. Você é pesado demais, feito âncora, e me puxou com você para o fundo do seu mar de abismos. Mas eu cansei de ser escuridão e preciso de leveza pra conseguir voar.

 

Texto colaborativo escrito com Bruna Frotté

Mineira que vive no Rio, escreve em vários blogs lindos, ama Friends e Taylor Swift e, apesar de ser advogada, se encontra mesmo é na escrita. Ama café, pôr do sol no inverno, gatos e odeia pagar boletos. Dona e proprietária do Vigor Frágil

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *