Pessoas não são sonhos pra você passar a vida lutando por elas

Amar é bom. A gente encontra uma pessoa, projeta nela o nosso futuro, mesmo passando a vida dizendo que não devemos idealizar a pessoa ‘certa’. Que a pessoa ‘certa’ não existe.


Então, nos apaixonamos.

E convencer a nossa razão que ela deve seguir o aprendizado recorrente das histórias que acumulamos e das histórias que conhecemos ao nosso redor, é difícil. Queremos viver aquele amor com toda a força e com toda a vontade. É involuntário.  Coisas ditas não são pensadas e nossas atitudes são provocadas pelo instinto.

Quando existe amor na dose certa de reciprocidade, as coisas vão fluindo como as águas do rio indo de encontro ao mar.

O problema é quando o mar é repleto de ilusões. A pessoa que a gente ama não responde, não corresponde ou está muito distante daquilo que merecemos ter.

É hora de parar, respirar fundo e fazer um tremendo esforço  – doloroso, quase sempre – para mudar a rota da engrenagem do instinto e ser voluntário em ajudar o próprio coração.

Não insistir. Não se humilhar. Não achar que pode mudar as circunstâncias.

Ser consciente que nadar contra a maré é se afogar em futuras (mais) decepções. Ter noção que perdoar traições sucessivas é trair a si mesmo. Aprender que você pode ser o seu herói, mas nunca o herói da vida de alguém que não escolheu você.

Sobreviva para buscar os seus sonhos, seja ele qual for. Morra lutando pelos seus sonhos, se necessário. Quebre a cara quantas vezes for preciso. Reinicie, volte. Chore, enxugue as lágrimas e siga com a cabeça erguida ao entender que tudo aquilo foi importante para que você chegasse mais perto do que você sonhou.

Porém, jamais faça isso pela pessoa que te usa, que te esnoba. Que diz que precisa de você, apenas porque você confortavelmente consegue abraçá-la depois das besteiras que ela apronta.

Não tenha dúvidas que a cada vez que você luta por alguém que não lutaria um minuto sequer por você, seus sonhos morrem.  Muitas vezes, inclusive, nem a sua luta essa pessoa assiste. Seu esforço por ela já foi banalizado.

Se o seu amor é bom, grande e bonito, use ao seu favor. Use todo o amor que você sente por alguém que não lhe quer em causa própria. E sobreviva depois, por mais difícil que seja.

Baiano cá do recôncavo. Vizinho de Edson Gomes, Sine Calmon, fã de Dona Canô e dos filhos que ela deixou no mundo. Aspirante a jornalista e sonhador de um mundo melhor. Tem axé correndo no sangue e, entre acarajé e sushi… Ele fica com os dois.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *