É hora de virar a página

hugo ribas e hora de virar a pagina

Porque páginas velhas e repetidas já não contam mais boas histórias…

Eu pensei que com você seria diferente. Eu juro, meu coração aqueceu quando você chegou… É sério, eu te amei. Mas com o tempo eu fui percebendo que o nossa história era só mais um plágio dos tantos livros que passei adiante. As cenas eram idênticas. As promessas eram as mesmas. As dores eram iguais. Aos poucos eu perdi a empolgação, admito. Não vou dizer que a culpa é só sua, porque não é. Eu tenho culpa nisso tudo também. Eu não me conformo por ter permitido que os nossos capítulos fossem longos demais…

Eu podia ter colocado o ponto final antes que o primeiro parágrafo acabasse, mas fracassei.

Fracassei porque acreditei que tudo podia ter sido diferente. Eu apostei todas as fichas em nós dois, tu sabe muito bem disso. Quantas vezes eu te pedi pra ficar?! Quantas vezes você me implorou pra ficar?! O problema é que nós dois não nos amamos na mesma medida. Aliás, eu nem sei se você me amou realmente. Afinal de contas, foram tantas as promessas que você me fez… Nenhuma delas foram cumpridas. Mas também confesso que nunca acreditei que você seria capaz de cumpri-las. Talvez eu tenha preferido me fechar por puro medo de me decepcionar.

O medo da desilusão me assombrou desde a primeira linha do nosso primeiro capítulo.

É por isso que eu digo que fui muito forte ao insistir numa história condenada ao fracasso. Enquanto eu me esforçava pra fazer dar certo, você brincava com outros corações iludidos. Enquanto eu sofria pensando na possibilidade de virar a página, você lia outros livros bem mais interessantes. Enquanto eu me culpava pela dor que poderia te causar, você brincava de ser feliz com pessoas que não significavam nada pra você.

Neste exato instante eu estou colocando o maldito ponto final que nossa história merece.

Uma história cujo enredo não teve emoção alguma. Foi apenas mais um livro chato que ninguém consegue ultrapassar os limites do prólogo. Uma trama tão entediante que chega a dar sono. Um romance cretino. Um plágio… Um patético plágio. Tudo o que você me disse, muitos outros já disseram. Tudo o que você fez, vários já fizeram. Você nunca teve nada de diferente, nem de especial. Suas palavras são vazias. Seus gestos desencantam qualquer um. 

É por isso que dessa vez eu não estou sofrendo tanto como antes. Eu estou bem, pode acreditar.

E vamos deixar uma coisa muito clara: O que me causa sofrimento nessa hora não é a saudade, muito menos o seu desamor. Não é o arrependimento por ter te deixado, muito menos a vontade de voltar atrás. Também não é culpa, pois não sinto culpa alguma, pelo contrário, sinto até um alívio por ter me afastado. O que me faz sofrer agora é saber que eu podia ter virado a página há muito tempo… É olhar para trás e enxergar todo o tempo que você me fez perder.

Foi tanto tempo perdido…

Mas isso também já não importa mais. A página está virada…

Pisciano, escritor, leitor e também uma metamorfose ambulante. Adora se perder em sentimentos escritos e nem sempre consegue se encontrar em suas próprias palavras. Personagens, narrador e escritor se fundem no que ele escreve. Conheça o blog: www.hugoribas.com.br

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *