Um texto pra você que se sabota

Oi, tá tudo bem, meu bem?

Fiquei sabendo que você anda se sabotando por aí, a todo momento. O que está havendo? Por quê cê tá se sabotando e desistindo das coisas assim? Confia em mim e conta.

Antes de tudo, queria dizer que eu já me sabotei muitas vezes também, na minha vida pessoal, amorosa e profissional, e eu acho que foi um período importante pra reflexão e crescimento. Mas te digo, foi um momento, não uma forma de vida. Percebe a diferença? Eu vivi esse momento e quis que ele fosse um momento, nunca tratei esse momento como algo que eu quisesse viver à longo prazo.

E entre algumas reflexões que tive, eu percebi que eu me sabotava, primeiramente, porque eu estava morrendo de medo de algo e segundo, que eu estava totalmente inseguro comigo mesmo. E quando falo inseguro, eu me refiro a falta de autoconfiança, falta de amor-próprio, falta de me auto-perceber. E somente nesse momento eu tive essa percepção e me encorajei a mudar.

Tá vendo porquê eu disse que foi um momento importante?!

E foi um processo, tanto eu perceber isso, como foi um processo eu colocar em prática tudo que havia pensado e o que eu queria fazer para mudar toda a situação. Não foi fácil, mas também, não foi um bicho de sete cabeças. Foi um processo e eu sabia que era uma processo, isso ajudou muito. Perceber que é um processo e que vai levar o tempo que precisará ser levado, é um adicional enorme nesse processo. Perceber e saber que você não tem o controle de tudo, também ajuda. Nem tudo sairá como planejamos ou esperamos e está tudo bem. Não se cobre tanto. Todo mundo tem seu tempo. Você tem o seu. Não se force. Não se julgue. Não se apresse. Respeite seu tempo. Seu momento.

E nesse processo, eu aprendi a encarar o medo, e também foi um processo.

Como eu fiz?

Eu somente mudei a perspectiva. Eu deixei de ver o medo como algo ruim e passei a vê-o como essencial para a minha existência. Eu deixei de ter medo do medo e passei a enfrentá-lo. Olhá-lo fundo nos olhos e eu percebi que os medos que tinha, ficavam cada vez menores quanto mais eu os olhava.

Juntando a mudança de perspectiva, com perceber que tudo é um processo necessário para nossa existência e com a outra visão de medo, eu parei muito de me sabotar. Primeiro, porquê eu criei um amor enorme por mim, segundo, porquê eu me percebi, terceiro, porquê eu consegui ver os pontos fracos que me deixavam inseguros e consegui corrigí-los.

Tente fazer o mesmo. Mude as perspectivas. Trate a vida como uma completa constante impermanência.

Tudo é mutável. Tudo muda e se transforma o tempo todo. E nós também. E você também. Se permita a mudança. Deixe-se mudar. Permita-se mudar.

E eu não to dizendo que não vai dar medo não. Vai dar sim, mas vamos estar mais preparados e amigos dele.

Não deixe que o medo de ser incapaz te tire a oportunidade de viver momentos maravilhosos na sua vida. Você é igual a todos. E todos nós somos propensos a errar. Eu erro. Tu erras. Tua mãe erra. Teu vizinho erra. Teu pai erra. E a vida segue. E a vida é só uma. E se tu não viver a tua vida completamente e incansavelmente, sinto muito em te dizer, mas ninguém viverá a tua vida por você. Ai é com você.

Reza a lenda que quando morremos vem um anjo nos dizer: nessa vida tu viveu ou apenas existiu?

A pergunta você já tem. E a resposta, também. A diferença é que, agora, tu tem tempo de viver ao invés de somente existir, antes de morrer. Pense nisso. Exista, porém, viva.

 

De Recife, porém, do mundo. Libriano, meio aquariano. Ama o mar, amar e meditar. Apaixonado por suco de uva, sorrisos, meias coloridas e cheiros no cangote.
Adora finais, mas ama recomeços e voltas por cima. Escritor por vida e por decepções alheias. Tem um pé no chão e outro no budismo. Hey, finge que somos velhos amigos e vamos conversar um pouco.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *