Você é a regra da minha exceção

Nunca gostei de namorar, de me relacionar ou qualquer coisa parecida. Tenho pavor da palavra casamento. Qualquer tipo de enlace me assusta e, quando dei por mim, fugi.

Mas com você foi diferente. Opa, desculpa usar essa frase, sei que você odeia clichês e eu também. “Você foi diferente” ler isso dá uma vontade absurda de revirar os olhos. Parece até letra de pagode antigo. Talvez seja, sei lá, não conheço. Nada contra.
Enfim, clichê ou não, é a verdade. A verdade foi que você quebrou minhas regras, me fez enfrentar aquele medo que o relacionamento dava e que, às vezes, ainda dá. Você foi, realmente, diferente. Ainda é.
Por você, peguei minha bandeira anti-relacionamentos e rasguei, substituí pela exceção que é amar você. Todos os dias. Horas. Minutos. Segundos. É certo que em algumas vezes o amor toma a forma do ódio, mas é um ódiozinho saudável, sabe? Daqueles que servem pra dar uma mexidinha, pra não deixar o amor endurecer, pra dar uma equilibrada no doce.

Você é meu equilíbrio. O equilíbrio certo entre a raiva e a paz. Entre a realidade e o sonho. Entre o querer ficar e o querer ir embora. Entre o odiar relacionamentos e me jogar de cabeça em um de três anos. Você é o meu ponto de equilíbrio.

A minha exceção só poderia ser dada a você, meu amor. Eu não curto namoro, eu odeio me sentir presa, mas não é assim com você. E só poderia não ser assim, com você. Não que namoro seja sinônimo de correntes nem nada do tipo, mas é algo que sempre esteve dentro de mim, uma sensação. Sempre gostei de caminhar sozinha. É uma questão de gosto.

Mas foi você quem conseguiu me fazer gostar de andar junto e topar essa loucura toda que é embarcar numa vida dupla. Dividir sonhos, desejos, anseios, pesadelos. Dividir pensamentos e multiplicar sentimentos.

A minha exceção foi dar a mão a você, mas eu tenho uma regra. A minha regra é você, não importa como. Namoro é rótulo, acredito nisso. Não me importo em qual rótulo nós estejamos encaixados, desde que você esteja juntinho de mim. Ah, aí tá tudo bem.
Taurina, viciada em Greys Anatomy e Taylor Swift, estudante de direito por obrigação e escritora por amor.
Dona do Palavras e Clichês

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *