Eu não sei onde a gente se perdeu

Éramos tão bonitos juntos, que nem parecíamos um par, parecíamos uma extensão do corpo um do outro. Todo mundo falava da gente como exemplo de casal. Todo mundo falava do quão éramos bonitos juntos. Do quanto combinávamos. Todo mundo falava que quando nos beijávamos parecia que saia faísca.

Todo mundo queria ser a gente, mas não era, e hoje, nem nós somos o que éramos. Já pensei em diversas opções, mas realmente eu não sei onde a gente se perdeu.

Será que nos perdemos no nosso primeiro encontro e no primeiro beijo no primeiro encontro? Será que devíamos esperar um segundo ou terceiro para nossas bocas se cruzarem? Será que foi meu jeito único de ser que ao mesmo tempo de ter despertado uma vontade em tu de me conhecer mais despertou também um medo de eu ser tão eu que tu não conseguiria ser tão tu comigo?

Será que nos perdemos no segundo encontro que aconteceu dois dias depois do primeiro? Será que devíamos ter esperado mais? Ou foi o modo em que estive fascinado com o passeio que te causou ciúmes em minha atenção não está totalmente em ti?

Será que nos perdemos nos dias que foram se passando e a gente se gostando ainda mais ou será que foi nos dias que não viriam e tu já sabia de tudo um viria à acontecer?

Será que nos perdemos em todas as vezes que eu tentei ser pra ti o que ninguém te foi? Ou o fato de tu ter tido medo de onde tudo aquilo nos levaria?
Será que foi o fato de eu não ter demonstrado medo mesmo tendo uma ferida enorme no peito ou será que foi em todas as vezes em que fui antes da tua aula somente pra te ver e te dar um beijo? Realmente, eu não sei, só sei que nos perdemos feio.

Cogito na possibilidade de termos sido tanto para nós em tão pouco tempo. Será que foi a rapidez com que tudo se moldou ou será que foi o modo em que tudo fluiu? Será que foi por causa daquele dia em que eu te disse que te amava e tu ficou com medo das palavras, mesmo vivendo o amor em ações?

Seráque foi o fato de tu ter se impressionado com o fato de eu mesmo com medo ter te amado de uma maneira única que ninguém nunca te amou ou sequer demonstrou tamanho afeto por ti? Eu não sei, só sei que nos perdemos.

E, levando tudo isso em conta, hoje. Eu realmente acho bom a gente ter se perdido. Que bom que nos perdemos tanto, a ponto de, os nossos nomes da agenda serem apagados e as nossas fotos sumirem dos nossos celulares como um fade-out de término de um filme qualquer.

Eujá sentei, pensei e refleti sobre tudo, e que bom que tu se perdeu de mim ou eu me perdi de tu, eu acho que eu era muito à flor da pele pra tu, e eu não me culpo ou me julgo por isso, eu sou assim mesmo, quando sinto, sinto mesmo, sinto forte, sinto alto, e talvez, tu não fosse acostumado a ter tanto sentimento e entrega, como tu mesmo falou, ninguém nunca te foi assim, e eu fico feliz em ter sido isso pra tu, pelo menos te mostrei o que, talvez, seja amor de verdade, te mostrei o quanto uma pessoa machucada pode amar, mesmo com todo medo do mundo de se entregar. Te mostrei o que é ser amado de verdade, e eu saio com a consciência tranquila de que fiz o que faria com qualquer outra pessoa que passasse pela minha vida e eu sentisse o mesmo que senti por você.

E eu não te perdi, como você anda falando para os seus amigos e aos quatro ventos. Eu ganhei. Ganhei experiência, ganhei mais força e ganhei sabedoria para não ter alguém tão fraco de sentimentos assim na minha vida, como você.

E, pra falar a verdade, eu perdi sim. Perdi alguém que desistiria no primeiro obstáculo, alguém que brincaria com meus sentimentos tão covardemente querendo me machucar mais do que eu já estava, alguém que não sabia o que queria, e que saia deixando marcas em quem cruzasse por aí. Eu poderia listar inúmeros itens das coisas que perdi quando tu preferiu ir, mas colocando na balança, quem perdeu mais nessa história, foi você. Eu poderia sim, listar algumas coisas, mas só preciso dizer que você me perdeu. Isso basta. Hoje, talvez, você não perceba o que fui pra você, mas lá na frente, você vai se perguntar o porquê de ter deixado eu sair da tua vida assim, tão drasticamente.

Eu realmente não sei onde a gente se perdeu, mas que bom que nos perdemos a ponto de não sermos mais nada um pro outro.

De Recife, porém, do mundo. Libriano, meio aquariano. Ama o mar, amar e meditar. Apaixonado por suco de uva, sorrisos, meias coloridas e cheiros no cangote.
Adora finais, mas ama recomeços e voltas por cima. Escritor por vida e por decepções alheias. Tem um pé no chão e outro no budismo. Hey, finge que somos velhos amigos e vamos conversar um pouco.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *