Não se apaixone por mim

Posso te pedir um favor? Não se apaixone por mim. Não deixe sua cabeça virar um nó que só e acabar deixando você enrolado em alguém como eu. Mas por quê? Porque eu sou complicada, amor. Eu gosto de uva hoje e amanhã eu não gosto mais. Eu sou uma eterna incógnita.

 O X que você nunca vai encontrar, não importa a equação.

Eu sou meio Alice no país das maravilhas, falo com lagartas azuis e gatos sorridentes sem medo nenhum. Enfrento rainhas, sigo coelhos de paletó e se você deixar, atravesso um espelho mesmo. Sou sonhadora demais e atrapalhada o suficiente para cair em uma toca.

Tem dias, que eu não tenho medo de nada. Se for preciso, tomo a frente de qualquer situação para livrar alguém que eu amo de uma bala perdida. Mas tem outros, em que eu me encolho quietinha na cama com medo de trovão.
Bem me falaram um dia que era meio maluca. Sabe, menina pequena com um coração grande demais. E se você quiser saber, eu sou mesmo. Maluquinha que só. Rio das minhas próprias piadas, danço músicas esquisitas pela casa inteirinha e faço um show privado no banho me sentindo no The Voice.

Eu tô sempre segurando um monte de balões, deixando eles me levarem para qualquer lugar. Manter os pés no chão nunca foi comigo, eu sempre quis voar. Eu sonho alto, e quanto mais alto, melhor.

Eu sou uma mulher hoje e daqui uma semana, nem me reconheço mais. Tem dias que sou escritora, tem dias que não largo meu violão e minhas composições e tem outros, que eu quero me mudar para BEM longe e cuidar de quem precisa.

Tenho o famoso complexo de grandeza, acho que nasci para ser alguém. Procuro meu propósito em todas as esquinas. Mas ainda, infelizmente, não achei.
Eu quero viajar pelo mundo inteiro, mesmo morrendo de medo de avião. Quero nadar em praias que eu nunca vi, acariciar gatinhos de rua, morrer de frio no meio da neve e um dia, voltar para casa.

Então, se eu fosse você, não se amarrava, porque meu coração é completamente grudento. Se ele amar você de volta, você tá ferrado. Vai ter que me aguentar de madrugada filosofando e me aguentar acordando com ideias mirabolantes para salvar o planeta. Eu sou assim, meio de veneta.

Segue meu conselho, não se apaixone por mim não. Sou difícil demais. Meus olhos verdes pertencem à lua e eu não sei como vai ser se um dia, eles resolverem levar você para pertencer com eles. Minhas barreiras altas me impedem de deixar você se aproximar, então por favor, não tente. Porque mesmo que você consiga, minhas pernas podem ainda sim acabar fugindo de você.

Ou, enroladas na sua cintura.

Não se apaixone por mim, você não sabe se eu vou me apaixonar e ficar ou se você me apaixonar e partir. Melhor não arriscar me fazer sorrir. 

20 anos de muita história para contar, autora do blog DuzentasLinhas, residente do país das maravilhas e escritora nas horas vagas – nas outras também. Geminiana, sonhadora, avoada, estudante de psicologia, especialista em matérias impossíveis e completamente apaixonada por pessoas, flores e tudo que há de belo no mundo. Acredita em fadas, sereias e em um amor que cura todos os males. Você pode encontrar meus textos nos blogs mais lindinhos da internet
e-mail aberto para corações: duzentaslinhas@gmail.com

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *