Aprendi o que é ser a morada de alguém com você

Lar (s.m.): Local onde há harmonia, onde as pessoas vivem e sentem-se bem.

 

Eu não compreendia bem esse negócio de ser a casa de alguém. Eu sempre fui meu próprio lar, mas, nunca havia pensado em construir uma morada para outra pessoa. Só que, isso mudou depois que conheci você.

Logo eu, aquela que sempre achou essa conversa de ser lar algo distante demais para ser alcançado por alguém com esse meu jeito, que nem sabia quais eram os materiais necessários para uma construção desse nível. No entanto, a vida é por si só curiosa, e, me mostrou que você seria meu lar, bem como, eu seria o seu.

Para edificar uma casa como essa, é preciso ter todas as ferramentas corretas. Não foi difícil para eu saber quais eram os melhores utensílios, você foi mostrando cada um, sem pressa. Como em um piscar de olhos, eu já sabia do que seria necessário.

Nos pilares principais eu precisei compreender toda a estrutura que já estava presente no seu ser, seus gostos, seus jeitos, seu modo de levar a vida, o mais interessante é que sua organização já se misturava com a minha.

Por isso, foi tão fácil essa edificação.

Do mesmo modo, quando comecei a elaborar o alicerce, o principal da obra, necessitei depositar alguns sentimentos: amor, paciência… Foram tantos que de cabeça não consigo recordar, mas posso dizer que, de maneira geral, todos eram os mais bonitos e poéticos que há. E, continuarão sendo.

Em seguida, vieram os detalhes. A forma como eu arrumei o que decora o interior desse lar foi planejada cuidadosamente, pensei em cada singularidade, quais seriam as cores das paredes, quais seriam as músicas tocadas no som, pensei nos livros, contos, poemas.

Nós fomos estruturando tudo, juntinhos, ficou uma obra e tanto, hein?! Sempre quando chega o final do dia, eu me aconchego na minha velha poltrona, pego o livro que estou lendo no momento, sou capaz de observar nossa moradia crescer.

É recompensador poder enxergar que não somos líquidos, não nos dissolvemos em água e nem escorremos por entre os dedos. Somos fixos no chão, assim como nosso lar. Que nem um girassol é firme no solo, para poder seguir da melhor maneira possível à luz do sol, elaboramos firmemente nossa casa.

Esses dias ouvi Buarque, coincidentemente, a música que estava tocando era Construção, aquela que termina com paroxítonas, bem estruturada, uma harmonia perfeita entre os versos e a melodia, até mesmo o arranjo musical dialoga com o conteúdo, por isso é considerada uma das melhores músicas brasileiras. Eu tenho uma mania incontrolável de relacionar as letras das músicas com situações que acontecem diariamente, e acabei associando a Construção do Chico com a nossa.

Da mesma forma como ele planejou cada estrofe, nós organizamos os pilares da nossa morada. Assim como ele desenhou os versos, nós elaboramos nossos alicerces. Nossa simetria e nosso lar são únicos!

O melhor disso é que a conexão habita nesse lar. Ele foi construído sem cercas, muros ou barreiras, temos uma casa livre. Em razão de, sabermos que amor é quando se respira em harmonia e paz. E outra, nossa construção não será interrompida, não deixará de aumentar, nós vamos sempre trazendo mais detalhes para decorá-la.

Agora, eu compreendo o fenômeno incrível que é ser e fazer uma moradia, graças a você, meu lar.

 

Ela tem o riso frouxo. Apaixonada pela delicadeza das coisas simples, por livros, pela a arte, flores, pizza e café com leite. Encontrou na escrita a melhor forma de expressar sua sensibilidade. Descobriu que a beleza não mora nos espelhos, da mesma forma como a arte não mora nas molduras. Ama pessoas que gostam de conversar e procura sempre a poesia que vive dentro de cada ser.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *