Vai que a gente se esbarra de novo?

E eu te digo com toda a precisão do mundo que ainda que eu pudesse controlar o fim, rebobinar todos os momentos, pausá-los e analisá-los minunciosamente procurando a hora certa de intervir, eu não faria. Ainda que eu tivesse o poder de evitar aquela briga, de não entrar naquela rua ou de fazer com que aquela gota não gerasse uma onda de dois metros de altura, eu não faria. Ainda que eu pudesse olhar através de uma bola de cristal e descobrisse o segundo exato em que estragamos tudo, eu não olharia. Eu não mudaria, eu não voltaria atrás.

Eu ainda te xingaria. Eu ainda iria embora. Eu ainda te beijaria até me faltar o fôlego.

Eu ainda saberia que partir é necessário. Mesmo doendo, mesmo martelando, mesmo não entendendo o motivo de todos os planos parecerem tão certos enquanto nós, somos tão errados. Tão errantes. Eu ainda saberia que é preciso saber viver. É preciso pegar as malas e ir embora.

É preciso saber a hora de admitir que já foi feito o suficiente. Ou mais do que o suficiente. Muito, mas muito mais. É preciso saber admitir que perdemos uma batalha. É natural. O amor enfrenta mesmo muitos desafios ao longo de suas jornadas. Às vezes vamos precisar deixá-lo. Vamos precisar admitir que não há mais nada a ser feito. Tentamos, lutamos, amamos.

Acabou.

Acabou por agora. É importante reconhecer a tentativa bem sucedida. Os meses ao lado de alguém que fez muito mais do que tirar a sua roupa e a sua paz. Alguém que despiu suas inseguranças e seus medos, te viu nua da cabeça aos pés. Te abraçou com lágrimas nos olhos. Te esquentou. Te esfriou. Te fez sentir coisas incríveis e coisas não tão incríveis assim. É importante saber dizer “até mais” pro amor.

É importante entender que o amor precisa de um tempo SIM. O tempo só dura pra sempre quando nunca foi amor. Quando é paixão, quando é entrega, quando é verdade, a energia do universo se encarrega de dar um jeitinho – quase que sempre. O amor precisa respirar, precisa amadurecer, precisa aprender a amar também. O amor precisa sentir saudade. É importante saber dizer “até logo” pro amor, porque ele pode esbarrar com você outra vez, quando aquela onda voltar a quebrar.

O amor pode te encontrar depois de você ter se encontrado, se curtido, se conhecido mais um pouco. É necessário largar tudo hora ou outra, é necessário amar a si mesmo. O amor te espera. O amor esbarra contigo depois. O amor pode te achar numa esquina, daqui a cinco anos, depois de você ter tomado aquela taça de vinho que você diz odiar hoje em dia.

Acabou. É importante dizer “te vejo em breve” pro amor.

Se for pra ser, o amor te acha.

20 anos de muita história para contar, autora do blog DuzentasLinhas, residente do país das maravilhas e escritora nas horas vagas – nas outras também. Geminiana, sonhadora, avoada, estudante de psicologia, especialista em matérias impossíveis e completamente apaixonada por pessoas, flores e tudo que há de belo no mundo. Acredita em fadas, sereias e em um amor que cura todos os males. Você pode encontrar meus textos nos blogs mais lindinhos da internet
e-mail aberto para corações: duzentaslinhas@gmail.com

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *