Todo mundo é um pouco geminiano, e tudo bem!

Calma, eu sei que você deve estar me achando meio louca por dizer isso, mas já vou explicar. Geminianos são conhecidos por sua indecisão, né? Por mudarem de ideia diversas vezes, não conseguirem se manter no mesmo lugar por muito tempo, por desejarem o mundo ao mesmo tempo. E foi aí que eu pensei: será que todo mundo não tem um pouquinho dessa indecisão dentro de si? Acho que sim.

Eu tenho um carinho muito grande por geminianos. E juro que nem é por ter o ascendente em gêmeos. Eu gosto das multi possibilidades que a vida oferece e que eles aceitam sem nem pestanejar. Eles querem tudo. Eu também quero. Sei que você também.

Vivemos num mundo meio louco, que te faz recusar todas as infinitas chances que a vida nos dá. Eles te obrigam a escolher só uma, pelo resto da vida. Aos dezessete anos, já nos querem decididos: você precisa saber o que você quer e você precisa saber já. A vida é curta. Você precisa estudar, trabalhar em um único trabalho, se estabilizar financeiramente, talvez construir uma família, ter um único amor, e depois tudo acaba. Nunca gostei disso.

Eu nunca tive um sonho linear, que percorreu todos os anos da minha vida. Já quis ser modelo, outras vezes quis ser veterinária, jornalista, juíza e escritora. Eu já quis ser tudo, porque esse mundão tão grande nos oferece tantas possibilidades que escolher só uma me parece desperdício.

É claro que existem pessoas que já nasceram – pelo menos é o que dizem – com aquele sonho de uma vida toda. Tudo bem, mas você não precisa ser assim. Permita-se experimentar, mudar, gostar, não gostar, mudar de novo. Permita-se viver todas as expectativas que a vida te oferece porque a vida é mesmo muito curta, mas ela é curta demais pra viver de forma chata, engessada, pra viver um personagem que montaram pra gente.

Sei que sempre te disseram que sim, mas não, a gente não tem só um amor da vida. Existe uma pluralidade de amores em nossa existência e seria um total desperdício negar isso.  Desperdício de aprendizado, de amadurecimento, de experiência. Porque tudo que vem pra nós, não vai sem deixar rastros. Deixam um pouquinho de tudo: amor, raiva, tolerância, aprendizado. Tudo. Nunca nada.

Tá tudo bem mudar de amores. Mudar sua cor favorita. Mudar de amigos. Mudar de profissão. Mudar de gostos. Tudo bem mudar uma vez e continuar mudando sempre, porque é isso que a vida é: a vida é uma eterna mudança. E ninguém quer permanecer imóvel enquanto ela passa, não é mesmo?

Taurina, viciada em Greys Anatomy e Taylor Swift, estudante de direito por obrigação e escritora por amor.
Dona do Palavras e Clichês

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *