A vida tem o peso que você dá

Há algo extraordinário em como encaramos as questões da vida. Em como trilhamos os caminhos sem perceber o impacto da lente que usamos para ver as coisas. Drummond diz em um dos seus poemas que a dor é inevitável, mas o sofrimento opcional.

Isso não significa julgar o que sentimos, mas sim reagir de uma forma diferente e tentar construir realidades a partir de um novo ponto de vista. Ok, é mais fácil se dar ao luxo de colocar a culpa na tristeza e na injustiça, cauterizando as feridas do jeito que dá. Por outro lado, é preciso alguma coragem para buscar novas soluções para os problemas.

Não precisamos desistir da estrada por causa de algumas pedras. Nem exigir do outro, ou de nós mesmos, aquilo que não se pode dar. É necessário um exercício diário para compreender que não é preciso tirar as piores conclusões, quando temos apenas perspectivas individuais. Podemos dialogar e descobrir quais são os nossos fantasmas, medos e sonhos. Olhar com mais sensibilidade e empatia para nós e para o outro, sem medo, julgamento ou hostilidade.

No fim, tudo se resume em como você percebe a realidade. A mudança é de dentro para fora e transforma todo o mundo a sua volta. A vida pode ser leve, não permita que ela se faça pesar.

Isso de querer ser exatamente aquilo que a gente é ainda vai nos levar além.
-Paulo Leminski.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *