Procura-se um amor que goste de cachorros. E cachorras também

Vou começar esse texto com aquela frase do Frejat: eu procuro um amor que ainda não encontrei. Diferente de todos que amei.

Eu procuro um amor que goste de cachorros. E cachorras também! No sentido literal e figurado da palavra, sabe?

Procuro esse amor, que além de recíproco, me aceite do jeitinho que eu sou. E que eu fui também. Porque eu tenho um passado e me orgulho muito dele, okay? Então okay. E só pra deixar claro, ser chamado de cachorro ou cachorra pra mim não é ofensa, tá? Aliás, o que chamam de ser cachorra, eu chamo de ser solteira e fazer o que bem entender. Se tu discorda, vá destilar seu preconceito em outro lugar.

Eu tô procurando alguém pra me ajudar a empurrar o carrinho na Cobasi e que aguente a minha indecisão na hora de escolher a ração ou um brinquedinho novo. Que ature meus surtos histéricos quando vejo um vira-latinhas pela rua e que não se importe de ser marcado em 27 vídeos, gifs e memes de filhotes por dia.

Tente arrumar alguém mais parceiro que um cachorro e falhe miseravelmente! Tu quer Netflix? Tamo aí pra isso. Quer balada? Faço esse sacrifício. Não dividir a cerveja gelada? É  um puta dum sacrilégio. Agora encontrar um amor que goste de cachorros é privilégio.

Cachorros são fiéis. Cachorras são livres. E é por isso que eu quero um amor que goste dos dois; pois hoje em dia eu só aceito ficar preso às minhas próprias vontades. Não adianta vir com a coleira para o meu lado, entende? Eu não vou fugir. Eu não sou um vira-lata qualquer.

O que acontece é que o meu amor aprendeu a se virar sozinho e se tornou livre com o passar dos (d)anos.

Sabe aquele cachorro que corre em sua direção, abanando o rabo, mesmo sem te conhecer? Ele sequer imagina qual será a sua reação. Ele só quer um pouco de diversão e a chance de ser o seu companheiro até que você não se interesse mais por ele – assim como eu.

Quero ser intenso antes de ser eterno. E se não der certo, tudo bem. Existem tantos outros cachorros e cachorras por aí, não é mesmo?

Um cachorro não sabe que existe o amanhã, e é por isso que ele te aproveita como se nunca mais fosse te encontrar.

Eu só quero encontrar alguém assim também; alguém que não queira me perder, mas que também não queira me prender.

Pois um cachorro de verdade sempre sabe que a rua é grande demais para passar sempre pelo mesmo lugar.

Texto em parceria com Neto Alves
Um aquariano na casa dos vinte, que brinca com as palavras e coloca os sentimentos na ponta dos dedos.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *