Eu achei que seria qualquer coisa além do nada pra você

O tempo passou, ele sempre passa, mas com o passar do tempo fui percebendo o quão descartável eu fui pra você.

Vivemos momentos de risos, de choros, de conversas bobas e de conversas sérias. E durante todos esses momentos, não sei ao certo em qual deles, um sentimento bonito, acolhedor, tomou conta do meu coração e ele era todo destinado a você. Sempre achei que seria recíproco, talvez não por inteiro, mas um pouquinho que fosse.

Percebi, naquele dia, durante mais uma das minhas inúmeras crises de tristeza, enquanto esperava por um telefonema seu. Ou uma mensagem só. Uma pergunta, uma ajuda. E não tive nada. Foi aí que eu percebi que a única coisa que eu fui pra você era isso: um imenso nada.

É que eu fui boba, sabe? Pra mim sentimentos brotam fácil, não sei viver sem sentir. Não poderia ser inerte ao seu sorriso ou as milhares de vezes em que você me fez sorrir junto. E imaginei que seria alguma coisa pra você, algo além de um momento passageiro.

Porque você disse, eu lembro que disse. Você disse que gostava de mim, lembra? Naquele dia de verão quando o calor lá de fora se igualava ao que eu sentia por dentro.

Hoje vejo que nunca tive qualquer principio de sentimento seu. Nem amizade, nem amor. Nada. Foi como se minha existência, por você, nunca houvesse sido notada. Tanto faz, né? Tanto fez pra você, eu estar ou não estar na sua vida.

Agora também tanto faz pra mim.

Porque você sabe, meu bem, ou deveria saber, porque eu te disse. Mas talvez não se lembre, já que tudo que eu te falei parece não ter muita importância. Eu não me encaixo em espaços pequenos, eu não sei ser coadjuvante na vida de ninguém. 

Eu nutria sentimentos de tamanho ilimitado por você, enquanto que, por mim, seus sentimentos também não poderiam ser medidos, mas não pelo mesmo motivo. Porque nunca existiram. E não se pode medir o nada.

Tá tudo bem, você sabe, eu só precisava desabafar. Só precisava dizer que eu esperava ser qualquer coisa além do nada pra você. Não fui. E, agora, luto pra que você também não seja.​

Taurina, viciada em Greys Anatomy e Taylor Swift, estudante de direito por obrigação e escritora por amor.
Dona do Palavras e Clichês

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *