Um texto pra você aprender a deixar o outro ir

Chega um momento em que precisamos deixar o outro ir. E que precisamos ir também. Porque, chega um momento em que os sentimentos mudam. A gente muda. O outro muda. E tá tudo bem. É normal. É normal o outro querer ir. É normal a gente querer ir. Só não é normal ir ou deixar o outro ir sem conversar ou avisar antes. É sempre bom ser sincero com a pessoa que conviveu contigo os últimos dias, meses, anos. Concorda?

Porque amar, acima de tudo, é saber a hora que o amor acaba ou precisa de um tempo, e dar esse tempo pro amor voltar a amar ou pro amor ir de vez.

Amor também, é sobre respeitar a ida, é sobre se respeitar em continuar amando teu par, mesmo depois dele partir, foi o amor dele que acabou, não o teu. E não se sinta trouxa ou babaca por isso. Acontece mais do que você imagina, eu mesmo já passei por isso, e olha eu aqui, livre e pronto pra amar de novo. E esse momento foi importante demais pra eu amadurecer mais um pouco, não só em relação à relacionamento, mas em relações gerais, em relação à vida.

E quando eu digo que tá tudo bem continuar amando, eu digo que tu viva esse momento (o famoso momento “luto”), mas que não permaneça nele o tempo todo. Claro que toda pessoa tem seu momento, tem o seu tempo, e você tem o seu. Só te peço que tu nunca se compares à ninguém, tá bem? Cada um tem seu tempo, você tem o seu, que é diferente da tua amiga, do teu primo, do teu conhecido, do meu tempo, por isso é importante não se comparar. Esse é um momento pra você se perceber, se notar e se amar. Você com você e ponto.

A gente já tem tantas cicatrizes e traumas na vida, eu tenho certeza que você não quer ser mais um de alguém que tu amou e que te amou também. Finais nem sempre são momentos ruins, nós que os tornamos ruins. Nem todo final é um fim, às vezes, é somente um empurrão pra um novo recomeço. Por isso, solta esse sentimento ruim. Perde o medo de perder. Perde o medo do fim. Perde qualquer medo que possa aparecer. Só perde. E se se perder, tá tudo bem também, mas se acha. O mais rápido possível. Pro teu bem.

Independente de tudo, eu não posso dizer que não vai doer, que não vai machucar, mas eu posso te confortar dizendo que vai passar. A dor passa. O sentimento passa. E o amor fica. O amor não morre com a ida do teu par, ele só se transforma, e com o tempo, a gente vai percebendo que a gente pode amar novamente, que a gente tem que amar novamente. Que a gente pode continuar amando nosso par, sem ele mais estar, mas não mais será aquele amor que te fazia faltar o ar, é um amor tranquilo, de gratidão por aquele ser ter compartilhado tanto contigo e tu com ele.

O amor nunca morre, ele só se metamorfoseia.

Aprenda a deixar o outro ir quando ele não quiser mais ficar, mas fique, fique por você, pra você. Você é a pessoa mais importante da sua vida. Você merece todo seu amor do mundo. Não se abandone. Não se deixe, mas deixe o outro ir.

De Recife, porém, do mundo. Libriano, meio aquariano. Ama o mar, amar e meditar. Apaixonado por suco de uva, sorrisos, meias coloridas e cheiros no cangote. Adora finais, mas ama recomeços e voltas por cima. Escritor por vida e por decepções alheias. Tem um pé no chão e outro no budismo. Hey, finge que somos velhos amigos e vamos conversar um pouco.

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *