Não sei mais o que fazer para chamar sua atenção. Juro, não sei. Já enviei mensagem, liguei, deixei recado com amigos, fiz sinal de fumaça, cantei na chuva… E nada. Nunca dá em nada.

Você sempre está ocupado demais vendo o fluxo do mundo e esquecendo que eu também estou inserida nele, ou ao menos deveria estar. É triste assumir para eu mesma que isso esteja acontecendo, mas a verdade é que me sinto inserida num jogo que aparentemente não sei jogar.

Se chego com meus excessos, você se vai com suas migalhas; se me lanço do abismo em direção aos seus braços, você prefere ficar no alto do penhasco observando minha queda; se te ligo implorando atenção você devolve a frieza de poucas respostas; e se num momento de ilusão permito-me chamar por seu nome em pensamento, mesmo à distância, posso ver e ouvir o silêncio da tua falta de resposta.

Na última Copa do mundo em 2014 as pessoas riram do Brasil pelo 7X1 da Alemanha… Bem, é assim que me sinto. Na verdade, estou exatamente na mesma situação que o Brasil: perdida e com medo, mostrando a todos meu único gol, enquanto você ostenta seus 7 e ri da minha cara.

Desculpa o desabafo, é que eu cansei. Cansei de estar ali mesmo quando você não merece e não receber nada em troca. Cansei de fazer o possível e o impossível para que as coisas entre a gente fiquem bem e ver tudo desmoronando porque você não se permite entregar os pontos e ser feliz de verdade.

Cansei de beijos transbordando sentimento que acabam em um aperto de mãos e cada um para o seu lado. Cansei de abraços pingando a saudade de dias separados que poderiam ter sido passado juntos. Cansei de promessas fáceis que para mim tem tanto valor, mas a meu ver, para você são apenas palavras ditas em um momento de paixão.

Eu já não posso mais esperar sua chegada ansiosamente, pois ao que parece, você nunca permanecerá. Não quero mais me iludir com a expectativa de que um dia você se dará conta de que é ao meu lado que quer estar, pois por mais verdadeiros que sejam seus sorrisos, acabam por ser a mentira mais bonita que já acreditei.

E quando você me encontra na rua e seus olhos acendem a chama de um sentimento guardado há tanto tempo, bem, eu perco o ritmo dos passos e também do coração, mas hoje me pergunto se você também perde, ou se simplesmente se acostumou com as boas memórias que têm das horas que passamos juntos. Eu só quero que você saiba que se te procuro é porque daria a minha vida para lhe ver bem e não porque queira lhe deixar perdido em pensamentos que não levam a nada. Se viesse de mãos vazias a você, eu nem viria; apenas permaneceria a uma curta distância apreciando a leveza de seus dias.

Eu tenho tanto a oferecer, e você tão pouca vontade de receber. E é por isso que hoje eu vim avisar sua mente e coração que cansei dos seus joguinhos, e estou pensando em parar por aqui. Eu sei que o correto é pôr de vez uma pedra sobre isso e enterrar o que passou, mas cá entre nós: eu não minto quando digo que te amo.

Toda forma, canseira você já me deu. Seus silêncios, sumiços e indecisões foram capazes de abalar um muro como eu, e isso com certeza não é bom. Jamais pensei que chegaria a esse ponto, mas

a verdade é que não estou desistindo de você, até porque eu não conseguiria arrancar seu nome do meu coração. Ele sempre esteve aqui, e continuará. Eu estou desistindo é de nós dois.

Estou desanimando da história que construí na minha mente onde todos os dias de manhã te enviaria bom dia, até chegar aquele momento que ao invés de uma mensagem no celular, você acordaria com um beijo, um cafuné e um café fumegante.

Estou começando a largar mão de preparar a playlist do nosso casamento; ao que me parece não é comigo que você vai trocar alianças. Estou saindo de fininho, bem devagar da sua vida, e pode ser pouco a pouco, mas estou.

Não dá para jogar quando você tem uma mão só com Áz e o outro jogador tem o baralho todo à disposição. Além de injusto, o jogo também é sem graça (para um dos lados). Por isso eu vou retirar minhas cartas e sair da mesa. Com certeza você tem um adversário à sua altura, que assim como você dá as cartas na hora certa, e cá entre nós: de igual para igual é outra história, né?

Não se preocupe comigo, ficarei bem. Eu sempre fico. E se no meio do caminho puder lhe ajudar com algo, sabe onde e como me encontrar. Mas por favor, venha com mãos, mente e coração limpos, que eu não posso e não quero mais o desespero de um amor meio correspondido.

Continue jogando, você é um excelente jogador. Enquanto não estiver em sua mesa jogarei com outros oponentes, e quando tiver um baralho tão bom quanto o seu você ficará sabendo. E caso queira jogar, peço apenas que seja justo comigo e com você mesmo. Se já tiver parceiro de partida, não me insira nela.

Agora vá, a vida não para. Enquanto me vê arrumando a mala e saindo porta a fora, tome uma coca bem gelada pra lembrar o meu beijo, e um banho daqueles de meia hora pra refrescar as ideias. Ouça Nickelback pra aliviar o peso do momento, e caminhe num lugar com árvores para pensar com clareza. Siga meus conselhos, e você encontrará respostas onde menos espera. Agora já vou, porque para mim a partida acabou faz muito tempo.

Ela é a menina que grita em silêncio, e desenha em palavras o uni-verso. A Deus tudo atribui e, dele, tudo recebe. Sempre flutuando em outros mundos, mas com os pés fixos neste aqui. Como canta Ana Carolina: “é que eu sou feita pro amor da cabeça aos pés, e não faço outra coisa se não me doar”.
Curta @Textandoemocoes

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *