Só vim lembrar o mulherão que você perdeu

Quem diria que esse dia chegaria, não é mesmo? O dia em que eu estaria tão bem comigo mesma ao ponto de reconhecer que o que me pareceu uma perda na verdade foi livramento.

E pensar que você já foi minha notificação favorita, esperada ansiosamente, como se não tivesse mais nada a fazer além de aguardar pelo alerta do celular indicando que alguém lembrou de mim. Meu coração sangrava ao perceber que a nova curtida na foto não fora sua, e que a menção em comentário veio dos meus amigos e não de você.

Fiz tudo o que pude na esperança de que você percebesse o quanto desejava sua atenção. Publiquei textos, músicas, vídeos, imagens… Enviei e-mails, chamei no in box, publiquei fotos com legendas de músicas das suas bandas favoritas. Acredito que se existisse a opção “enviar sinal de fumaça” a teria utilizado, mesmo que para isso fosse necessária à combustão automática de nossos celulares.

Como eu quis estar no topo de sua vida. Mas hoje penso: como estar em destaque na vida de quem não me ofereceu o primeiro lugar nem mesmo nas redes sociais? Sejamos francos: se quisesse você teria me dado seus status, comentários, compartilhamentos e claro, seu tempo no universo real também. Mas não, não foi o que aconteceu. Ao contrário disso, você preferiu me dar noites sem dormir pensando sobre quem poderia ser a garota que deu amei em sua foto e adicionou um coração ao comentário.

Rapaz, se você soubesse quantas vezes parei o meu mundo para dar atenção ao seu, talvez teria reparado melhor em como meu sorriso se abria fácil pra você. Mas sabe, pensando bem, acho que você não teria se dado conta… Não, não é legal assumir isso, mas é necessário. Por mais que soubesse, talvez não tivesse valorizado minha presença.

Não importa o quanto você é inteligente, gentil e disposta; se a outra pessoa não for equivalente, jamais compreenderá seu valor.

Então hoje eu estou aqui, sorrindo para o espelho enquanto passo meu batom vermelho. Vou sair com minhas amigas; vamos àquele bar que você dizia gostar. Sempre quis ir até lá, mas me recusava a pisar num local onde a qualquer instante pudesse esbarrar em seu ombro. O medo do coração descompassar e a mente me trair eram suficientes para me impedir.

O tempo passou e as coisas mudaram, não é mesmo? Hoje eu torço para lhe encontrar. Isso mesmo, tomara que você esteja por lá para ver ao vivo e em cores o quanto fico bonita de shortinho e cropped. E sim, por favor, dê atenção ao meu sorriso; ele estará extremamente aberto combinando com o batom, com a mente e com a alma. Se meus olhos brilharem saiba que é reflexo das luzes e efeito da bebida. Não se iluda pensando que o brilho é para você, por que bem, não é.

Estou aqui para lembrar o mulherão que você perdeu. Não preciso esfregar na sua cara, nem ficar de graça com outros rapazes. Sei que você ainda lembra de como eu segurava sua mão nas maiores dificuldades e fazia o impossível acontecer para que sua vida desse certo.  Com certeza você não se esqueceu de que o que tenho conquistei na raça, saindo de casa de madrugada e retornando no fim da noite. E eu garanto que quando ouve a música “titanium” do David Guetta lembra de como sempre me comparou à ela. Sim, eu continuo ótima, porém agora sou mais sólida em minhas escolhas, mais firme em minhas certezas e mais mulher em minha dignidade.

Hoje não troco meus valores por um saco de amor meio correspondido, e não mudo de lugar os aprendizados que levo na alma. Trago nos olhos a inocência de uma criança, e nas costas o peso de viver 70 anos em 12 meses. Hoje nada é capaz de me desmoronar, porque o pior abalo foi causado por você, e apesar de pensar que não, sobrevivi.

Então, obrigada. Fico grata por ter me mostrado que a fera, apesar de ferida, não estava morta. Foi vendo você soltar minha mão que percebi que a corda é alta e bamba, mas nela eu até sambo. Muito obrigada. Tenho de lhe agradecer, afinal, se não fosse o choque de realidade que levei quando você me deu as costas não teria descoberto que caminhar descalço machuca os pés, mas também forma uma casca que depois suporta até o asfalto quente pelo sol do meio-dia.

Tenha uma boa vida, colecione aprendizados. Ao olhar para trás, enxergue o caminho traçado até agora, e se não gostar do que vê, faça o possível para não repetir as pedras já acumuladas. Quando pensar em mim, pense em uma grande mulher, que todos os dias conquista seu espaço no mundo e prova seu valor ante todos, porque meu querido é exatamente isso que eu sou.

Ela é a menina que grita em silêncio, e desenha em palavras o uni-verso. A Deus tudo atribui e, dele, tudo recebe. Sempre flutuando em outros mundos, mas com os pés fixos neste aqui. Como canta Ana Carolina: "é que eu sou feita pro amor da cabeça aos pés, e não faço outra coisa se não me doar". Curta @Textandoemocoes

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *