Para todos que já perderam alguém

Eu ainda vejo seu rosto na multidão. Mas nunca é você. A moto vermelha cisma em aparecer na minha frente toda vez que atravesso a rua, me deixando com o coração na mão. Assim, despedaçado. Minha visão brinca comigo e quando acaba a brincadeira, sinto que não há mais nada.
Eu ainda escuto a sua voz como se você estivesse do meu lado, discursando com palavras bonitas. Consigo me lembrar os detalhes da sua gargalhada e do modo como você conseguia deixar todo o ambiente iluminado com a sua presença.
Você era meu presente e em um piscar de olhos, virou passado.
Eu ainda lembro do seu abraço que me acolhia de um modo único, que nenhum outro abraço vai me acolher pelo resto da minha vida. Lembro do seu beijo no topo da minha testa e das suas mãos que seguravam as minhas e me protegiam do mundo inteiro.
Ainda sinto seu cheiro quando estou sozinha em casa e me pergunto de onde veio esse aroma que me traz tanta saudade. Mas dura pouco, desaparece rapidamente sem que eu me prepare.
Eu ainda acordo de madrugada confusa, sem saber bem se você está aqui ou não. Tem vezes que demoro minutos até me lembrar completamente do dia em que você fechou os olhos para sempre. Mas lembro, hora ou outra.
Ainda sinto sua falta, todos os dias. E sinto muito por você não poder presenciar algumas das minhas realizações. Por não poder mais atender o telefone e me ouvir tagarelar sobre os meus sonhos.
Meu maior medo era te perder e como sabemos, eu perdi.
Por sorte, não perdi todo o encanto que você me ensinou a ter. Ainda continuo teimosa do jeitinho que você me conheceu. Ainda percorro meus objetivos e ainda comemoro minhas vitórias. E caramba, que vazio eu sinto quando no meio de todos os olhares orgulhosos não encontro o teu.
Mas a saudade ameniza em alguns momentos. As fotos me confortam, saber que eu tive o prazer de conhecer você me conforta. A dor fica um pouquinho menos insuportável. Mesmo em dias como o seu aniversário, em que eu desejo poder te parabenizar e me enrolar nos seus braços. Ou no meu, que eu espero a sua mensagem e ela nunca chega.
O vento que levanta meus cabelos e o sol que aquece minha pele. A chuva que cai em gotinhas prateadas na minha janela. O arco-íris que parece mágico no horizonte. Tudo torna a perda um pouco menos cruel. Porque ainda sinto que você está aqui, em algum lugar, me observando com cautela, vendo se não estou em apuros, se não precisa do seu carinho no meu cabelo
E se vocês, leitores, já perderam alguém, vão saber do que eu estou falando. Sabem como funciona aqueles segundos em que você tem certeza de que a separação de vocês não é eterna, quando a luz entra pela frestinha da cortina e você vê os pontinhos coloridos no ar.
Eu ainda sorrio, porque não era você. É você. Toda vez que algo me arranca um sorriso do nada eu sei que eu não tinha você. Eu tenho você.

20 anos de muita história para contar, autora do blog DuzentasLinhas, residente do país das maravilhas e escritora nas horas vagas - nas outras também. Geminiana, sonhadora, avoada, estudante de psicologia, especialista em matérias impossíveis e completamente apaixonada por pessoas, flores e tudo que há de belo no mundo. Acredita em fadas, sereias e em um amor que cura todos os males. Você pode encontrar meus textos nos blogs mais lindinhos da internet e-mail aberto para corações: duzentaslinhas@gmail.com

Comments

comments

Talvez você goste de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *