Semana passada eu te vi, na esquina de casa, aquela mesma casa em que nós duas brincávamos de boneca aos sete anos, e foi bem estranho, né? Ver alguém que já soube dos meus mais profundos segredos, tristezas, alegrias, e não dizer nada. Queria ter dito, acredite. Ficou tudo entalado aqui dentro.

Nossa amizade se desfez, assim do nada, sem grande motivo. Acho que o motivo foi a vida mesmo, ela corre rápido e é difícil acompanhar. Faculdade, estágio, problemas, falta de tempo. É difícil permanecer com os mesmos laços de sempre, eles se desfazem antes que você possa pensar em reforçá-los. A vida vem como um tsunami arrastando tudo e todos e, quando você se dá conta, já perdeu pessoas que antes eram essenciais nos seus dias.

Mas eu não me esqueci, minha ex melhor amiga, dos dias felizes na escola, quando conversávamos sobre nossos primeiros amores, que logo vinham acompanhados dos segundos, terceiros, quartos. Não me esqueci de quando te liguei, uns dez minutos depois de dar o meu primeiro beijo, porque eu queria que você soubesse, eu sempre queria que você soubesse de tudo.

Também não me esqueci dos momentos felizes, que foram 90% da nossa amizade, dos conselhos bobos, que não ajudavam em nada, ou dos conselhos sérios, que ajudavam em tudo. Não me esqueci das festas do pijama na sua casa, quando a gente cantava Taylor Swift juntas, e depois víamos um filme bobo só pra rir, comendo brigadeiro na colher.

Nós crescemos juntas, aprendemos juntas, conhecemos outros amigos juntas. Mas no começo eramos só você e eu. E a gente se bastava, se ajudava. A cada primeiro dia de aula, indo juntas para a escola, aquele caminho cheio de conversas infinitas que nunca perdiam a graça.

Eu só queria dizer que, apesar do fim de tudo, ainda te desejo o bem. Não costumo odiar gratuitamente pessoas que me fizeram feliz e, é claro, você foi uma delas. Não posso, nem quero te odiar. Te acompanho de longe, por fotos que aparecem vez ou outra nas minhas redes sociais, e fico feliz a cada conquista sua, conquistas essas que eu sei, mais que qualquer outra pessoa, que você tanto quis, desde pequena.

A nossa amizade se desfez, tudo bem, é consequência das escolhas que fizemos na vida. Sempre fomos diferentes e nossos caminhos se tornaram paralelos no final. Mas a saída de alguém da sua vida não é motivo para que o amor que durou tanto, se transforme em ódio. Ainda há carinho, compaixão, ainda há amizade. Porque amizades verdadeiras, mesmo afastadas, ainda desejam o bem para quem, um dia, mesmo que há tanto tempo, nos fez bem também.

Seja feliz, minha ex melhor amiga. Quem sabe um dia nós possamos retirar o “ex” dessa frase.

Taurina, viciada em Greys Anatomy e Taylor Swift, estudante de direito por obrigação e escritora por amor.
Dona do Palavras e Clichês

Comments

comments

One thought on “Minha ex melhor amiga, eu ainda te desejo o bem”

  1. Texto lindo. Acho que todo mundo já passou por isso. Mesmo se falar com minha “ex melhor amiga” há anos, não resisti e enviei a ela. Obrigada por nos proporcionar essa leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *