7 bilhões de pessoas no mundo e parece que estamos a procura de alguém que nem sabemos se existe. De fato, preencher a vaga de alma gêmea, compatível com os pré-requisitos desejáveis, é um desafio para nenhum Heart Hunter colocar defeito. Mas atrair os melhores candidatos, às vezes, parece uma tarefa quase impossível.

Para uma busca mais direcionada ao perfil requerido, temos os aplicativos de relacionamento como uma ótima ferramenta de recrutamento e seleção. No Tinder, por exemplo, é possível pesquisar potenciais candidatos e, antes de estabelecer contato, avaliar antecedentes no Google, lista de amigos no Face e, claro, as fotos no Insta. Depois disso, é só dar match, partir para a entrevista individual e esperar que o webcupido faça a parte dele. Método de esforço alto, com várias etapas e que pode demorar certo tempo para trazer resultados. Amigas especialistas dizem que, em média, somente 1 em cada 10 candidatos tem perfil para uma pré-entrevista (haja paciência!).

Recrutadores menos detalhistas e mais intuitivos podem preferir dinâmicas que reúnam vários participantes. Festas, baladas e barzinhos são recomendados nesse caso. Feeling e muita sorte são habilidades fundamentais para o recrutador que não poderá utilizar recursos de apoio durante a caçada, digo, seleção. Além disso, neste meio os critérios não estão claros para todos os participantes, o que pode dificultar a identificação de interessados na vaga. Logo, será necessário investir tempo, dinheiro (paciência de novo!!) e muitas mensagens no Whatsapp para descobrir se o candidato está de acordo com o perfil.

Também é possível contar com a boa, e velha, indicação. Com networking, você expande a rede de influência e com isso sempre surgem alguns contatinhos. Mas, atenção! Como o filtro será realizado por terceiros, você pode receber aquela sugestão da sua tia que viu o filho da amiga tratando bem a avó e que deve dar “um ótimo marido”. O resultado de um blind date está pautado na sorte ou numa mãozinha divina.

Agora, se a sua habilidade como recrutador é próxima de zero, você sempre pode contar com a ajuda do destino. Faça um mapa dos sonhos e espere o seu amor te encontrar. Depois, é só ficar em casa vendo Netflix enquanto espera o iFood, e o amor, chegar na hora certa. Não me parece má ideia.

Independente do método e de todo o trabalho para recrutar a alma gêmea, lembre-se do crítico período de experiência e só aprove candidatos depois de ter certeza que ele se encaixa no perfil da vaga, ok? Essa etapa é tão importante quanto a seleção. Boa sorte!

Isso de querer ser exatamente aquilo que a gente é ainda vai nos levar além.
-Paulo Leminski | Leia outros textos em: https://medium.com/@Jessicalaz

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *