Ei, descanse!

Descanse esse coração tão inquieto, essa mente tão cansada e esse corpo tão pilhado. Amanhã é um novo dia e um dia lindo, viu? Um dia com sol raiando te esquentando ou até mesmo um dia de chuva para lavar e levar tudo que te atordoa.

Descanse dessa vida corrida, que te cobra 24 horas por dia. Você precisa cuidar dessa saúde mental tão danificada pelas responsabilidades que você têm. Eu entendo que todos temos, mas você se cobra tanto — e não deveria. Você tem que fazer tudo aquilo que tiver ao seu alcance, o que você não conseguir, tudo bem. O mundo não vai parar por isso e nem vai se tornar pior.

Há coisas na sua vida que não sairão como planejado e é assim mesmo. A vida, as pessoas e as coisas nos surpreendem todos os dias. Ora para pior, ora para melhor. E a culpa não é sua. Não é de ciclano, não é de fulano. A vida que não é simples como na infância. Mas também não é tão problemática assim. Quando aprendemos a nos cobrar menos, ela se torna mais leve.

Você tem que tentar mesmo, tem que ir atrás das suas realizações, cumprir com suas responsabilidades, mas sem se afobar. Vai com o pé no freio para não dar de cara com o muro.

Siga seu caminho da melhor forma que você conseguir e der. Não se autossabote ao tentar ser mais forte do que realmente é. Ninguém tem armadura, somos de carne e osso. Chore, ame, sorria, viva.

Tire horas, dias, meses para você. Vá pular de paraquedas, andar de patins, maratonar filmes indicados ao Oscar, tomar sorvete, plantar uma árvore, compor uma música, curtir mais as pessoas que você ama. Vá fazer o que você tem vontade, o que te faz bem, o que te faz desapegar dos problemas. Você precisa disso, viu? Precisa desligar-se do mundo lá fora e viver.

Ei, descanse! Deixe no silencioso o que te perturba e coloque você no volume máximo. E ensurdeça aquilo que te corrói.

Futura publicitária, tenho 23 anos de vida. 14 anos traduzindo as batidas do coração. Minha alma gêmea é a escrita. Leonina raiz e protejo como uma leoa as pessoas que amo e meus ideais. Meu sonho é seguir à risca: plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho. Paulista criada em Minas Gerais, tudo na minha vida é “trem bão demais sô” regado a pão de queijo e café.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *