Eu devia ter ficado.

Me desculpa ter duvidado,
Colocado um pé atrás,
Me desculpa o medo?

Eu tive medo do que o que eu cultivei de mais bonito
Fosse a maior ilusão,
E me deixasse com o coração partido, no chão.

Mas fui eu quem traí a confiança,
Fui eu quem destruiu a beleza,
Eu mesma quem risquei as linhas do que a gente tinha escrito.

Só que eu odeio me referir a nós no passado,
Meu coração chega a perder o compasso,
Pular uma batida de pura dor.

Nem sei dizer o quanto eu sinto muito,
Mas eu prefiro sentir muito a não sentir nada,
E aqui dentro tá tudo queimando de tanto sentir.

Tá ardendo o bater do coração,
Batendo como asas de um beija-flor,
Mas ele não sabe bater assim sozinho.

Bate assim por você,
Por medo de te perder,
Pela ausência do seu ser.

Eu não fiquei quando devia,
Mas eu quero ficar,
De olhos fechados,

Pra sempre,
Do seu lado,
Em um só compasso.

Mineira que vive no Rio, escreve em vários blogs lindos, ama Friends e Taylor Swift e, apesar de ser advogada, se encontra mesmo é na escrita. Ama café, pôr do sol no inverno, gatos e odeia pagar boletos. Fundadora do Vigor Frágil.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *